web space | free hosting | Web Hosting | Free Website Submission | shopping cart | php hosting

Os ases do 7º Esquadrão de Caça


Um P-40E do 7th PS (Pursuit Squadron), nas cores do início da guerra, Março 1942

O 7th vai à guerrar


    O 7thPursuit Squadron (Esquadrão de Caça) foi criado, juntamente com os 8th e 9th esquadrões, integrando o 49thPursuit Group (Grupo de Caça), como resultado dos alarmantes relatórios dos observadores do Air Corp (Força Aérea do Exército dos Estados Unidos) localizados na Grã-Bretanha durante a Batalha da Inglaterra. O Exército, assustado com o relatório que dizia que as unidades aéreas americanas eram inferiores tanto em tamanho como em equipamento, quando comparadas com as britânicas, decidiu agir.
    Em 16 de Janeiro de 1941, o 49th Pursuit Group foi ativado mas somente em meados de Maio é que o Grupo iniciou suas atividades em Morrison Field, West Palm Beach, Flórida, quando recebeu seus primeiros aviões.
    Inicialmente cada esquadrão recebeu seis aeronaves: um PT-13 Ryan, um PT-17 Stearman, ambos para treinamento básico, três velhos Seversky P-35 (para treinamento avançado) e um único P-40C. Entre Maio e Dezembro de 1941, o 49th foi gradualmente se preparando, mas as operações com os obsoletos P-35 eram desanimadoras. Após o ataque japones à Pearl Harbor, o treinamento foi acelerado e o 49th passou a ser empregado em patrulhas anti-submarinas ao longo da costa da Flórida utilizando ainda o velho caça P-35. No dia 4 de Janeiro de 1942, o Grupo deslocou-se para San Francisco, Califórnia onde agardaria ordens. No dia 12 de Janeiro, o Grupo embarcou com destino à Austrália.
    Após chegarem em Melbourne no dia 26 de Janeiro, o Grupo foi deslocado para as bases de treinamento localizadas ao norte daquele país, onde cada esquadrão recebeu 25 P-40E Warhawks. Os esquadrões ainda eram destreinados, pois a maioria dos pilotos não tinha voado nada mais avançado do que os P-35. Os acidentes durante os treinamentos eram constantes, e embora nenhum piloto tivesse morrido, mais de 20 aeronaves foram perdidas durante as primeiras duas semanas de treinamento. Logo os aviões foram reparados ou repostos e gradulamente os esquadrões foram se adaptando aos novos caças.
    O primeiro esquadrão a ser considerado pronto para o combate foi o 7th, chamado carinhosamente de Screamin' Demons, sendo transferido para Horn Island, no dia 4 de Março. A primeira operação ocorreu no dia 14, quando decolaram para interceptar uma formação de bombardeios japoneses G4M Betty, escoltados por caças Zeros. Nove P-40 decolaram para a interceptação, e quando o comandante do esquadrão deu a ordem de "charge guns" (armar as metralhadoras), ele descobriu que seu sistema de armas estava inoperante. Passando o comando do esquadrão ao Ten. Reddington, retornou rapidamente para Horn Island de modo a tentar reparar o mecanismo de tiro de seu avião. Os mecânicos da RAAF (Royal Australian Air Force) rapidamente concertaram o sistema de tiro e meia hora depois, Morrissey já estava de volta ao combate. Após reassumir o comando do esquadrão, ele reorganizou as aeronaves, mas em seguida, o Ten. Reddington comunicou pelo rádio que suas metralhadoras estavam inoperantes. Imediatamente Morrissey mandou-o retornar à base. Minutos depois, Morrissey notou que faltava um P-40, mas não havia tempo para se preocupar.
    Pelo rádio, chegaram informações de que bombas já estavam caindo no aeródromo, e assim Morrissey ordenou potência máxima. Enquanto isso os bombardeios japonese, que já haviam completado sua corrida de bombardeio, começaram um pequeno mergulho de modo a ganharem velocidade e ao mesmo tempo fechando a formação, aguardando serem atacados no seu vôo de retorno para Rabaul. Logo foram atacados por um solitário P-40, que era aquele que Morrissey havia notado anteriormente. Esse P-40 era pilotado pelo Ten. Martin, que achando que seu comandante não retornaria a tempo, resolveu combater sozinho !!!. Ele não foi visto pelos Zeros da escolta, mas por sua inexperiência, começou a atirar de muito longe. Observando que seus projéteis não estavm atingindo os bombardeios, chegou mais próximo e descarregou toda sua munição em uma das aeronaves. Convencido de que o Betty já estava destruído, Martin realizou uma curva em S e retornou a toda velocidade para Horn Island.
    Morrissey viu a aeronave de Martin, quando essa estava próxima a formação dos bombardeiros, mas achou que ele era um dos caças de escolta. Ao mesmo tempo que os sete P-40 se aproximavam por trás dos Betty, seis Zeros se aproximavam pela esquerda. Morrissey destacou quatro P-40 para combater os Zeros, que aparentemente estavm preocupados com o P-40 de Martin que fugia. Morrissey abriu fogo a umas 600 jardas, quando estava atrás do Zero mais próximo. O japonês imediatamente ficou em chamas e saiu da formação, com os outros cinco Zeros se espalhando pelo céu. A superior manobrabilidade do Zero logo ficou evidente para dois dos P-40, que inadvertidamente tentaram acompanha-los em suas curvas fechadas, e foram devidamente atingidos pelas metralhadoras dos japoneses. Assustados, ambos os pilotos imediatamente realizaram um mergulho forte e fugiram para a base. Apesar da confusão, o Ten, House conseguiu abater um Zero, mas logo percebeu que suas metralhadoras engasgavam e até mesmo paravam de funcionar quando sofriam alto G, ao tentar atingir outro Zero que estava na cauda de Morrissey. Em desespero, intencionalmente atingiu o cockpit do Zero com a ponta de sua asa direita, matando imediatamente o piloto, mas perdendo quase um metro de sua asa. Enquanto House tentava controlar seu danificado P-40, o Zero mergulhava na água e dois outros P-40 compartilhavam a derrubada de um Zero. Mais uma vez a maior velocidade de mergulho do P-40 permitiu que eles escapassem com segurança, e um a um, os pilotos do 7th quebravam o combate mergulhando. Todos os caças, menos um, retornaram em segurança à base de Horn Island. O Ten. House teve que realizar um pouso sem flaps, a alta velocidade, mas escapou ileso dos destroços de seu caça.
    Após o combate, Morrissey reuníu todos os seus pilotos para uma análise da missão, e Martin, ao mesmo tempo que foi advertido por quebrar a formação foi elogiado por sua coragem. Dias depois, os destroços do G4M Betty foram encontrados no mar e Martin recebeu os créditos pelo derrube. Cinco aeronaves foram ditas abatidas pelos pilotos do 7th, mas na realidade dois dos Zeros foram apenas danificados e conseguiram retornar a sua base. Interessante notar que os pilotos japoneses, em seus relatórios, disseram ter abatido oito P-40.
 

Maio de 1942. Os ases da Campamha das Filipinas-Java, chegam a Darwin.
 


Bill Hennon, ás do 7th PS, em Java

 Segurando a barra !!!

    O 7th Pursuit Squadron se deslocou para a recém construída base em Batchelor Field, ao sul de Darwin, em Abril de 1942, onde se juntou aos 8th e 9th PS na defesa daquela cidade. O 8th PS, dias depois, foi deslocado para um novo campo, o Strauss Field, a 30 milhas ao norte de Batchelor, enquanto que o 9th PS, foi para o aeródromo de Livingston Field. Assim, o 49th Group ficou distribuído em três aeródromos, ao sul e sudeste de Darwin.
    Durante o mês de Maio, os japoneses pouco aparecerem e o 49th tinha pouco o que fazer além de voos de patrulha e treinamento. Foi durante esse período de tranquilidade, que o ás Bill Hennon, oficial de operações do 7th PS, pintou no estabilizador vertical de seu P-40 a imagem mística do Demônio das Selvas de Java. Chamado de "Bunyap", esse demônio significava a audácia de Hennon em combate e o esquadrão logo adotou a imagem como seu símbolo e passaram a se auto-denominar "Screamin' Demons" (Os Diabos Berrantes)

    Após as derrotas sofridas no Mar de Coral e em Midway, os japoneses decidiram concentrar esforços na eliminação das remanescentes unidades aéreas aliadas no Suldoeste do Pacífico, e Port Moresby e Darwin passaram a ser seus alvos selecionados.
    Para avaliarem o exato poder das forças aliadas na área de Darwin, os japoneses lançaram uma série de ataques, que começaram no dia 13 de Junho de 1942. Após cerca de 90 dias sem atividades aéreas, os japoneses enviaram 27 G4M Betty escoltados por 45 A6M2 Zeros, para atacarem os aeródromos e as docas de Darwin. Os primeiros P-40 a entrarem em combate foram os do 8th PS, que estavam em patrulha de alerta. Em menor número, os caças não conseguiram alcançar os bombardeios, mas abateram um Zero, perderam uma aeronave e outra três foram tão bastante danificadas que nunca mais voaram. Os P-40 do 7th chegaram atrasados para o combate.
    No dia seguinte, quem estava em alerta eram os P-40 do 7th PS. Os japoneses enviaram 9 Bettys e 27 Zeros, para atacar os mesmos alvos. Desta vez entretanto, eles separaram os bombardeios dos caças, proporcionando uma defesa muito efetiva. Os caças do 8th PS nunca conseguiram fazer contato com as aeronaves inimigas. Os P-40 do 7th e 9th esquadrões atacarm a escolta sobre Middle Arm. O Capitão Nate Blanton, um veterano de Jave, liderava os P-40 do 7th PS, quando atacou os Zeros japoneses do 3º Ku, em um mergulho dos 20 mil pés. Em segundos, Blanton já havia atingido dois Zeros, tendo derrubado um. Agora, já alertados, os demais 25 caças japoneses, pilotos veteranos, responderam prontamente ao ataque. Um P-40, foi cercado por dois Zeros, e rapidamente abatido, e seu piloto, o novato Ten Keith Brown conseguiu saltar de para-quedas, caindo sobre um dos campos da RAAF ao sul de Darwin, quebrando uma perna, mas sendo rapidamente recolhido pelo pesoal médico e levado ao hospital.
    Os outros três pilotos do 7th FS abandonaram o combate, e um quarto caça do 9th FS (apenas quatro dos 12 caças P-40 do 9th FS conseguiram encontrar os japoneses) chegou ao local da batalha e atacou os japoneses do 3º Ku. Essa esquadrilha, liderada por Andrew Landres, abateu três Zeros. Após 30 minutos de contínuo combate, o 3º Ku retornou à sua base. Os pilotos do 7th e do 9th Esquadrões, num total de 8 aeronaves, embora superados na razão de três para um, conseguiram derrubar quatro caças japoneses e perder apenas um caça, cujo piloto embora ferido, escapou com vida.

    No dia 16 de junho, outro ataque japones aconteceu, com 27 bombardeiros Betty G4M escoltados pelo mesmo número de caças Zeros A6M2, ataque este realizado também a alta altitude. O 8th decolou na tentativa de interceptar os invasores. Ao atingirem 26 mil pés, foram recebidos pela escolta japonesa e nessas altitudes o P-40 perde muita potência. Para piorar os fatos, os Zeros estavam mais altos e desciam com muita velocidade, conseguindo dispersar o esquadrão. Alguns pilotos tentaram manobrar contra os Zeros, com o resultado usual, ou seja, sendo fragorosamente suplantados. Um P-40 foi derrubado, com perda do piloto e outros dois também não regressaram, um por falta de combustível e outro por problemas com o motor. Ambos fizeram uma amerrisagem ao longo da costa, sendo resgatados incólumes. O 9th FS também participou dos combates, tendo abatido 2 Bettys e 2 Zeros, perdendo também 2 P-40, sem perda de pilotos.
    De volta ao 7th FS, o Oficial de Operações, Cap Hennon, não estava satisfeito com o desempenho dos Grupos. Ele criticou os pilotos que tentaram combater os Zeros a alta altitude. A tática que deveria ser empregada era "hit and run" (atacar e dar no pé !!!), mas os pilotos mais inexperientes insistiam em tentar combater o Zero com manobras e curvas fechadas, e pior do isso, tentavam essa tática quando voando alto, onde o motor Allison perdia muita potência. Se ele conseguisse embutir essas lições nas mentes dos pilotos jovens, muitas vidas e aeronaves seriam salvas.
 
 

    Os japoneses não retornaram com força até 30 de julho, embora tivessem realizado alguns ataques principalmente à noite. Mais uma vez, bombardeiros Betty escoltados por caças Zero atacaram Darwin a cerca de 24 mil pés. O 7th FS estava lá para defender os ares, e dessa vez com pequena vantagem de altitude. Com sucessivos passes frontais, os P-40 foram capazes de equilibrar os combates com a escolta japonesa. Dois bombardeiros foram abatidos.
    O 2º Ten Drake, após se separar de sua esquadrilha, vislumbrou uma oportunidade de atacar o segundo grupo de bombardeiros. Ganhando velocidade com um mergulho suave, Drake se aproximou e abriu fogo e o Betty derrapou e caíu mortalmente.  Drake cometeu então, o erro dos novatos, tentando subir com seu caça para atacar a outra esquadrilha de bombardeiro, que voava a alguns milhares de pés acima. Realizando um tiro com alto grau de deflexão, Drake errou o alvo, mas infelizmente os Zeros da escolta não. Perseguido por dois dos caças, seu motor foi atingido, e a pressão do óleo caíu rapidamente. Com seu cockpit cheio de fumaça e fogo, teve que abandonar o combate e realizar pouso forçado no mar. Ao final do dia tarde foi resgatado por uma lancha.
    Apesar de tudo, os caças americanos abateram sies Zeros durante os combates (os Ten Poston e Steere um cada) e uma esquadrilha do 9th FS abateu espetacularmente outros quatro Zeros.
    O Ten Drake, mesmo tendo abatido um bombardeiro e ter retornado vivo, foi repreendido pela manobra que realizou, combatendo os Zeros em vôo vertical. Drake foi o único piloto que não aplicou a tática do "hit and run", sendo também o único a ser abatido.