web space | free hosting | Business Hosting Services | Free Website Submission | shopping cart | php hosting

O B-26

B-26, também chamado de MARAUDER, foi um bombardeio médio americano utilizado durante a 2ª Guerra Mundial. Projetado pela Glenn L. Martin Company Aviation, como proposta para necessidade em Janeiro de 1939 do Army Air Forces de um bombardeio médio rápido e pesadamente armado. O resultado foi um projeto com aerodinâmica excepcionalmente limpa, com asas altas, fuselagem em forma de torpedo, deriva e profundores convencionais e trem de pouso triciclo.

         O B-26 voou pela primeira vez em novembro de 1940 e a aeronave entrou em produção diretamente das pranchetas de desenho, sem que houvesse grandes testes no protótipo. A primeira aeronave de produção saiu das linhas de montagem em Fevereiro de 1941.

 

B-26 Marauder


         Equipado com dois motores Pratt & Whitney de 2.000 hp, o B-26 possuía uma envergadura de 20 metros e um comprimento de 17 metros. Podia transportar uma carga de 1.800 kg internamente, operar até um teto de 6.600 metros e um raio de ação de 1.750 km. Os primeiros B-26 possuíam duas torres de metralhadoras .50 polegadas (uma superior e uma na cauda), sendo que a torre superior foi a primeira motorizada a ser empregada numa aeronave americana.

 

Sua velocidade máxima era de 505 km/h, valor extraordinário para um bombardeiro da época. Mas esta velocidade tinha um preço. As asas do B-26 que eram pequenas, com baixo arrasto aerodinâmico para permitir essa velocidade, faziam com que o Marauder tivesse que decolar e principalmente pousar, com uma velocidade muito mais elevada do que os pilotos estivessem acostumados. O resultado foi um número muito grande de acidentes, com o B-26 adquirindo a reputação de ser uma aeronave “quente” e passou a ser chamada de “Widowmaker” (Fábrica de Viúvas). O problema foi solucionado, com o aumento das asas em sacrifício da velocidade. As últimas versões do Marauder eram equipadas com até 12 metralhadores .50 polegadas.

 

         Os primeiros B-26 entraram em ação no Sudoeste do Pacífico, onde foram utilizados a partir da Nova Guiné, a partir da primavera de 1942. Mais tarde, a Army Air Force substituiu o Marauder pelo B-25, neste teatro de operações, transferindo as aeronaves para o Teatro Europeu. Na Europa, o B-26 teve uma estréia desastrosas em Maio de 1943, como bombardeio de baixa altitude, quando um esquadrão completo de Maraudres (10 aeronaves) foi derrubado pela anti-aérea e pelos caças alemães sobre a Holanda. A partir daí, o B-26 passou a realizar missões de bombardeio de média altitude, sempre escoltados, saindo-se muito bem, principalmente no Teatro de Operações Italiano. Foi muito empregado em ataques contra pontes e entroncamentos ferroviários, nos preparativos para o Dia D. Foi muito pouco empregado por outras força aéreas.

 

         Cerca de 5 mil B-26 foram construídos durante a guerra. Embora mais veloz e com maior capacidade de bombas do que o B-25, não era uma aeronave adorada por quem a voava. Após a guerra, saiu do serviço ativo.