web space | free website | Web Hosting | Free Website Submission | shopping cart | php hosting

A Operação Bolo tinha um único e simples objetivo: atuar como isca para os Migs norte-vietnamitas e abatê-los.


 Uma armadilha para os Mig

  Os pilotos que voavam nos céus do Vietnã do Norte logo viram diminuir a sua esperança de sobrevivência. Em 1967, após dois anos de bombardeios norte-americanos a objetivos na zona de Hanói, o aumento de atividade dos caças e da defesa anti-aérea norte-vietnamitas esgotaram os aviadores norte-americanos. 

 No entanto, a USAF , e de acordo com as complexas regras políticas daquele estranho conflito, não podia atacar as bases aéreas inimigas. Na verdade, a escolha de objetivos e missões era feito em Washington, onde não se conhecia diretamente a situação. Era preciso fazer alguma coisa e o coronel Robin Olds era o homem indicado. Durante a Segunda Guerra Mundial, 20 anos antes, abatera 12 aviões da Luftwaffe num P-38 e num P-51. Agora, com 44 anos, comandava a  8º TFW (Tactical Fighter Wing), a "Wolfpack" (alcatéia de lobos) equipada com F-4C Phantom e com base em Ubon, na Tailândia. Olds era um piloto da velha guarda, bebedor e impulsivo, mas também um grande estrategista e um líder nato. A sua intenção era atrair os Mig norte-vietnamitas para uma grande batalha aérea e eliminá-los.

Atrair os Migs

O plano era mais fácil de dizer do que fazer. Como era natural, nos doia anos anteriores os pilotos dos Migs vietnamitas tinham preferido evitar o confronto com os F-4, dedicando-se a interceptar e atacar os bombardeiros. Quando isso acontecia, os F-100 e F-105 eram obrigados a largar precipitadamente as suas bombas. Se a Wolfpack conseguisse fazer-se passar por uma formação de bombardeios, em vez de caças, poderia atrair os Migs para o combate antes que estes percebessem o erro.

 Na manhã de 2 de janeiro de 1967, Olds comandou os seus homens em missão. Sob o seu comando havia 14 patrulhas de Phantom, 6 de f-105 "Wild Weasel" e 4 F-104 Starfighter. Um número semelhante decolou ainda em missões de apoio. Entre eles estavam os aviões-radar EC-121, os EB-66 (plataformas de guerra eletrônica), alguns F-4C com diversas missões, A-1 Skyraider, F-100 Sabre e helicópteros preparados para eventuais missões de resgate.

Os F-4 Phantom dirigiram-se para o norte, ao longo da estrada Nacional 6, a bem defendida via de acesso a Hanói. Voavam a uma velocidade e altitude típicas dos F-105 em missões de longo alcance. Cada F-4C estava equipado com um casulo lançável de ECM, utilizado pelos Thunderchief, de modo que aparecessem nos radares norte-vietnamitas como bombardeiros.

A cabeça da formação

A primeira leva de aviões, três patrulha de quatro Phantom, com Olds à cabeça, sobrevoou Ohuc Yen, base aérea e importante depósito de combustível , a sudeste de Hanói, e virou rumo a capital do Vietnã do Norte. Imediatamente, um avião radar EC-121, que sobrevoava o Golfo de Tonkim, comunicou que os Mig decolavam e convergiam para a zona de Hanói. Como previsto, a batalha ia começar. Os Mig-21 se aproximam sem desconfiar e os aviões de Olds preparam-se. Olds disparou dois Sparrow e um Sidewinder contra um Mig, mas os três mísseis erraram o alvo. O tenente Ralph Wetterhahn e o capitão Walt Radeker, que seguiam o coronel, tiveram mais sorte e abateram um avião inimigo. Nesse momento, os norte-vietnamitas perceberam o que estava acontecendo e manobraram para posições defensivas. Contudo, já era impossível conter a Wolfpack. Olds avistou outro Mig de frente e, com uma manobra vertical e uma volta fechada ficou em posição de tiro, atingindo-o com um Sidewinder. Ao mesmo tempo o capitão Everett T. Raspberry abateu outro enquanto chegava a segunda leva de aviões com o nome código Ramper.

Lançando-se num vôo picado contra dois Mig, o capitão  John B. Stone (Rambler 1) disparou dois Sparrow. No momento em que um míssil atingia o alvo, Stone foi atacado por trás por outro Mig. Manobrando em conjunto com o Tenente Lawrence Glynn (Rambler 2), Stone colocou o Mig sob o tiro do comandante Philip P. Comnies (Rambler 4) que conseguiu derrubá-lo. Glynn fez uma curva fechada, disparou dois Sparrow e destruiu um sétimo caça norte-vietnamita.

Os Mig derrotados

Os Mig não esperaram a chegada de outros caças da Wolfpack e empreenderam a fuga. Assim, nesse dia não houve mais confrontos. Olds e seus companheiros regressaram à base, contentes por terem derrubado sete dos melhores aviões norte-vietnamitas sem sofrer baixas. O coronel Robin Olds provara como era possível vencer os Mig. Nos doze meses seguintes os Phantom da Usaf derrubar mais 36 caças norte-vietnamitas, sendo 23 deles por ação da Wolfpack. Contudo, devido a uma decisão política que deu prioridade aos grandes bombardeios, e que durou até 1972, foi preciso esperar quatro anos até que a United States Air Force obtivesse um êxito semelhante.