web space | free hosting | Business WebSite Hosting | Free Website Submission | shopping cart | php hosting

Ataque a Prisão de Amiens, 18 de fevereiro de 1944

Dezenove Mosquitos Mk IV, 6 aeronaves do Esquadrão Nº 487 (RNZAF), 6 do Esquadrão  Nº 464 (RAAF), 6 do Esquadrão Nº 21 e uma aeronave  da Photographic Reconnaissance Unit (PRU), foram utilizados num preciso ataque contra as alas norte e leste da Prisão de Amiens, missão esta realizada no dia 18 de fevereiro de 1944, com o objetivo de libertar alguns importantes membros da Resistência Francesa, que se encontravam, objetivando a preparação para o desembarque aliado no continente europeu.

Três Mosquitos do 487 atacaram a ala leste às 12:03, lançando 12 bombas. As bombas do líder atingiram o muro a 5 pés de altura, enquanto que as demais aeronaves atingiram o muro adjacente ou caíram um pouco mais ao norte. Duas aeronaves do 487 atacaram o muro norte, também com 12 bombas, todas atingindo o alvo, menos uma que atingiu o lado norte do prédio leste

Dois Mosquitos do 464 bombardearam o muro leste às 12:06 com oito bombas de 500 lb, sem que o resultado pudesse ser confirmado.

Dois outros Mosquitos do 464 bombardearam o prédio principal às 12:06 com oito bombas de 500 lb. O muro norte pareceu ser atingido. Uma dessas aeronaves não retornou da missão.

O Mosquito da PRU circulou sobre o alvo três vezes, entre 12:03 e 12:10, a cerca de 500 pés de altura, fotografando mas sem lançar bombas. Ele relatou uma grande abertura no muro norte em sua parte central, e considerável dano no lado oeste do prédio principal.  Um número razoável de homens foi visto no pátio entre os prédios, provavelmente trabalhadores e três foram vistos correndo em direção aos campos através da brecha no muro norte.

As quatro aeronaves do 21 receberam via rádio, mensagem da aeronave líder do 464  (Group Capitain Pickard) e da aeronave do PRU, quando estavam entre 2 e 4 milhas do alvo, para não bombardearem.  O alvo estava coberto por fumaça e as aeronaves retornaram com suas bombas.

Duas aeronaves não retornaram da missão: uma foi vista circulando o alvo e escutopu-se uma mensagem dela de não bombardear, e a outra foi vista em Freneuville, às 12:10, a 50 pés de altura liderando sua formação num ataque contra posição de artilharia, e ao girar sua aeronave para a esquerda nunca mais foi vista. Uma aeronave do 467 foi atingida por anti-aérea leve, próximo a Albert, sendo que no pouso a carenagem do motor esquerdo e a roda deste mesmo lado, colapsaram. Uma aeronave do 21 pousou em Ford, danificada. Uma aeronave do 487 abortou a missão, quando chegou ao sul de Oisemont, pois o piloto fora ferido e a aeronave levemente danificada pela anti-aérea. Duas aeronaves do 21 também abortaram, antes de cruzarem o Canal da mancha, por problemas técnicos.

De um total de 700 prisioneiros que estavam em Amiens, na hora do ataque, 102 foram mortos, 74 ficaram feridos e 258 escaparam. Entre os que escaparam, estavam importantes membros da Resistência Francesa, que seriam executados no dia seguinte. Esta missão é um exemplo clássico de um ataque de precisão.

 

Imagens da Prisão após o Ataque

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Aeronaves envolvidas no ataque

(todas Mosquito Mk.VI)

Tripulações que atacarm o alvo

Esquadrão Nº 487

'R'

Wg Cdr Smith, DFC (Piloto) / Flt Lt Barnes, DFM (Navegador)

'C'

Plt Off Powell / Plt Off Stevenson

'H'

Flt Sgt Jennings / WO Nichols

'J'

Plt Off Fowler / WO Wilkins

'T'

Plt Off Sparkes / Plt Off Dunlop

Esquadrão Nº 464

'F'

Wg Cdr Iredale, DFC / Flt Lt McCaul, DFC

'O'

Fg Off Monghan, DFM / Fg Off Dean, DFM

'A'

Sqn Ldr Sugden / Fg Off Bridger

'V'

Flt Lt McPhee, DFM / Flt Lt Atkins

PRU

'C'

Flt Lt Wickam, DFC / Plt Off Howard

Desaparecidos

Esquadrão Nº 464

'F'

Gp Capt P C Pickard, DSO, DFC / Flt Lt J A Broadley, DSO, DFC, DFM

'T'

Sqn Ldr A I McRitchie / Flt Lt R W Samson

Tripulações que foram instruídas a não atacar o alvo

Esquadrão Nº 21

'U'

Wg Cdr Dale / Fg Off Gabites

'O'

Flt Lt Wheeler, DFC / Fg Off Redington

'J'

Flt Lt Benn, DFC / Fg Off Roe

'D'

Flt Lt Taylor, DFC / Sqn Ldr Livry DFC

Abortaram a Missão

Esquadrão Nº 487

'Q'

Flt Lt Hanafin / Plt Off Redgrave

Esquadrão Nº 21

'P'

Flt Lt Hogan / Flt Sgt Crowfoot

'F'

Flt Sgt Steadman / Plt Off Reynolds

 

 

 


 

 

Abaixo, a transcrição da mensagem  autorizando a execução do plano secreto para o ataque, enviado pelo Grupo Nº 2, na manhã do dia 18 de fevereiro, com os detalhes finais da missão.

 

 

FEBRUARY 18th, 1944
EMERGENCY FORM "B" (Copy)

HNO T 140 A/F
UGI T 11 GROUP
V GPB GPB 5/18 'O' FORM 'B'
 
FROM 2 GROUP 180940A
TO 140 WING/AIRFIELD
INFO 11 GROUP, HQ T A F MAIN, HQ A D G B, HQ A E A F
SECRET QQX BT
 
AO,241 18th Feb.

Information:

Mosquitos of 140 Airfield are to attack the prison at AMIENS in an attempt to assist 120 prisoners to escape. These prisoners are French patriots condemned to death for assisting the Allies. This air attack is only part of the plan as other assistance will be at hand at the time.

Date and Time:

18th February, 1944.
Zero 1200 hours.

Route:

Base - LITTLEHAMPTON - Via appropriate lattice to TOCQUEVILLE - SENARPONT - BOURDON - One mile South DOULLENS - BOUZINCOURT - 2 miles west south west ALBERT - Target - Turn right - ST. SAVEUR - SENARPONT - TOCQUEVILLE - HASTINGS - Base.

Bomb Load:

2 x 500lb M C Mk.IV fused T.D. 11 secs.
2 x 500lb S A P fused T.D. 11 secs.

Method of Attack:

All aircraft to attack at low level.

1st Attack:

Six Mosquitos as detailed by O.C. 140 Airfield.

Intention:

To break the outer wall in at least two places.


 

Method:

Leading three aircraft to attack eastern wall using main road as lead in. Second section of three aircraft when ten miles from target will break away to the right at sufficient height to allow them to watch leading three aircraft and then attack northern wall on a North-South run, immediately following the explosion of the bombs of the leading section.

Timing:

Attacks to be made at Zero hours.

2nd Attack:

Six Mosquitos as detailed by O.C. 140 Airfield.

Intention:

To bomb the main prison buildings.

Method:

Leading three aircraft to attack south eastern end of main building and second section of three aircraft to attack the north western end of building. Attacks to be carried out in a similar manner to first attack above.

Timing:

Attack to be made at Zero plus 3 mins.

3rd Attack:

Six Mosquitos as detailed by O.C. 140 Airfield.

Intention:

This force is a reserve, and will approach the target as in the previous two attacks, one section from east and one from north, but will only bomb if it is seen that one of the previous attacks has failed.

Method:

As in 1st attack. Target will be decided by leader on approach.

Timing:

Attack to be made at Zero plus 13 mins.

Fighter Support:

Each formation of six Mosquitos will have one squadron of Typhoons as close escort. Fighters will rendezvous with Mosquitos as follows:-

1st Attack:

1 mile east of LITTLEHAMPTON at Zero minus 45 mins.

2nd Attack:

1 mile west of LITTLEHAMPTON at Zero minus 42 mins.

3rd Attack:

LITTLEHAMPTON at Zero minus 32 mins.


 

Signals:

1st Attack:

Bomber call sign: D Y P E G.
Ground control call sign: A I L S O M E on 2 Group guard 1.
Bomber leader may call escort direct in emergency on 11 Group guard 1.

2nd Attack:

Bomber call sign: C A N O N.
Ground control call sign: B E L L F I E L D on 2 Group guard 1.
Bomber leader may call escort direct in emergency on 11 Group guard 1.

3rd Attack:

Bomber call sign: B U C K S H O T.
Ground control call sign: G R E E N S H I P on 2 Group guard 1.
Bomber leader may call escort direct in emergency on 11 Group guard 1.

Fighter call sign: D U N L O P.

General:

Emergency homing to FRISTON on 2 Group guard.
A.S.R. on 2 Group guard.
Special V.H.F. codeword: RENOVATE.

Notes:

(1) Following each attack sections of three aircraft of each formation are to endeavour to regain close company as soon as possible.

BT 180940A.
XS
BARON AS FOR K WITH R +